quarta-feira, 16 de setembro de 2015

As incertezas da mulher líquida

Recua se me aproximo, me arrasta se ignoro.
De dia está fria, de noite transborda, pêlos, lençóis.
Ressaca do amanhã: te quero. Não só um gole. O corpo cheio, ainda quente.
A taça é minha. Não tem forma rígida, mas precisa estar completa. O tempo se esvai e a escolha é sua. Ou te evaporo.

(set 2015)

Nenhum comentário:

Divulgue

Visitantes