domingo, 27 de maio de 2007

Sépia




Colcha de retalhos
Fotos recortadas em tom de sépia
Assim apago da memória
Meu passado, minha dor

Sei que cada um tem sua história
É preciso a base para construir algo
Não há como arrancar as raízes
Mas, por favor, não quero lembrar-me

Lembrar das origens, dos tempos de dores e repressão
Do tempo que achava que era feliz, pois nada me faltava, senão a liberdade
E que nada é esse, se a liberdade é o maior bem que um homem digno pode possuir?

Iludido, oprimido, coagido
Dolorido... sofrido
Esse é meu passado em tom de sépia

Saudosista, histórico
Até belo, quem sabe
Mas contra o qual eu luto todos os dias
No recalque da minha mente
Para que um dia se encha de cor.


Verdade, é bem aquela sensação de "viver o que não fiz". Vide "Minha vida sem mim".

Na foto: Patrícia Galvão (Pagu)

2 comentários:

Nadja Pereira Coltrane disse...

Há algum tempo, eu tinha um blog que estava meio esquecido e agora resolvi reativá-lo, chama-se Ella Coltrane. Vou por coisas mais pessoais lá, mas nem tanto. Afinal, minha vida não é um orkut aberto.

beijos Luty.

Nadja Pereira disse...

http://mpbantiga.blogspot.com/

olhe q blog sensacional...rs.

olha eu voltei com o música e quase tudo, tirei ele do blog de jornalismo... o nome era mt grande e nem tinha muito a ver...

Divulgue

Visitantes