terça-feira, 5 de agosto de 2008

Prisma social



Artístico
Jornalístico
Lingüístico

Uma profusão de cores
Duas já me bastam
Preto e azul
Gélido e mortal
Roxo e vermelho
Alucinógeno, sensual
Cinza e marrom
Sujo e normal
Laranja: Alegria
Só porque é Bahia, "Terra do Carnaval"?

Atrás do trio elétrico, só não vai quem já morreu
E eu já parti faz muito tempo

Mata a larica com o pão
Ilude-se com o circo.
out 2006

*Poema publicado no livro "O que é que a Bahia tem: antologia literária" (Litteris Editora, 2009).


Figura: Divulgação da peça "Grand Theâtre: Pão e Circo", sob direção de Carolina Kahro


Para evitar interpretações equivocadas: Ainda não vi esse monólogo, apesar do grande interesse... O poema foi coincidentemente escrito muito antes dela estar em cartaz nos teatros soteropolitanos. É tão raro um espetáculo crítico, que fuja do simples humor, nesse setor artístico...

Nenhum comentário:

Divulgue

Visitantes