terça-feira, 24 de abril de 2007

Vermelho

















Brasa incandescente
Ferro latente
Marca que lateja sobre a pele


Marcas de dor, desejo, prazer
Ferro, fogo, fulgor, fugaz
Apenas no instante de uma chama
Grandes feitos nascem da chama...


Chama: Diga apenas que ama
Rápido se acenda
Mais rápido se vá


A questão é intensidade?!
Que vibre
Que chore
Que trema
Que emocione
Que pire
Que venha o intenso


O importante é não ter medo do vermelho
O entorpecente calor dos belos dias vividos
E a quente, mas fresca lembrança de um sonho concluído.
jan 2006


*Poema publicado no livro "Antologia Poética Ano 3" (Gil Editorial, 2008), reunido por Valdeck Almeida de Jesus.


Se pudesse escolher apenas um... Sim, Vermelho!

Foto: Patrick Parenteau

Nenhum comentário:

Divulgue

Visitantes